Logo
Atendimento (65) 3319-3700

Segunda a Sexta-Feira das 12:00 às 18:00

Email para contato

[email protected]

São João com festa, solidariedade e calor humano

30/07/2018

A Festa Junina realizada no Dia de São João, 29 de julho, no Quarteirão dos Amigos, em Cuiabá, marcou os nove anos de criação da Associação Beneficente Flor Templária, entidade paramaçônica fundada pela Loja Cavaleiros Templários, filiada à Grande Loja Maçônica do Estado de Mato Grosso (Glemt). Além de tudo o que uma festa junina tem direito o evento reuniu ingredientes que, somados, resultaram numa mistura de dedicação ao próximo, solidariedade, fraternidade e muita diversão. “Toda a renda da festa será destinada a trabalho social. Nos divertimos da forma que gostamos e ainda ajudamos ao próximo”, comparou a presidente da Flor Templária, Márcia Ramazoti.

 “Toda a renda da festa será destinada a trabalho social. Nos divertimos da forma que gostamos e ainda ajudamos ao próximo”, comparou a presidente da Flor Templária, Márcia Ramazoti

O venerável mestre da Cavaleiros Templários, Antônio Marcos Silva, disse que não se tratou apenas de uma festa, mas de um exercício que alimenta o poder da empatia nas relações humanas. “Saber lidar com pessoas é uma arte. Um diferencial que poucos dominam, mas que não está distante de ninguém se este praticar o exercício da boa convivência”, argumentou Antônio, enquanto o cheiro de pipoca quentinha tomava conta do ar. Os aromas de bolo de milho, arroz doce, pé-de-moleque, milho cozido, paçoca de amendoim e outras tantas comidas eram sufocados pelo cheiro do espetinho que chegava ao ponto numa churrasqueira próxima aos convidados vestidos a caráter. “Essa festa é um exercício de afinidade e burilamento de simpatia”, completou o venerável, que trocou o solidéu por um espalhafatoso chapéu de palha para também ficar a rigor. Ele salienta que é dessa forma que uma Loja Maçônica pratica o exercício do amor. "Sem amor às pessoas, saudade e muita vontade em fazer o bem comum nenhuma instituição sobrevive".

Antônio Marcos e Ademar Santana

O ambiente fraterno era visto de todos os lados. Ao redor da fogueira, casais se aqueciam em conversas animadas. Do touro mecânico e do pula-pula, se ouviam os gritos e vozes de crianças. Na pista de dança, a música ao vivo animava os dançarinos mais ousados em passes de xote, sertanejo e canções tradicionais de festa caipira. A dança soou como ensaio para o casamento caipira que logo aconteceria, seguido de dança de quadrilha e muito riso.

Antônio Marcos faz questão de mostrar que uma simples festa de confraternização pode ter resultados surpreendentes nos relacionamentos de uma instituição como a Maçonaria

Antônio Marcos faz questão de mostrar que uma simples festa de confraternização pode ter resultados surpreendentes nos relacionamentos de uma instituição como a Maçonaria. “Toda relação entre pessoas é composta por sentimentos, atitudes, e necessidades que são peculiares de cada um, influenciando assim seu comportamento dentro de um determinado grupo”. Na avaliação do venerável mestre, o segredo da boa convivência da Cavaleiros Templários está justamente nessa disposição da família maçônica estar sempre junta e unida. “Estes são fatores que mantêm a relação”, disse, desviando-se das crianças que corriam para a mesa de doces. Ele faz questão de dizer que o segredo dessa boa convivência não está apenas em festa. "Uma simples caminhada em grupo no parque, um piquenique com amigos, pescaria e até uma visita coletiva surpresa à casa de um irmão ou hospital também faz bem à vida de qualquer pessoa que busque a felicidade. Posso afirmar que na Loja Cavaleiros Templários somos felizes. Essa festa junina é uma prova disso".

Na avaliação do grão-mestre da Glemt, Geraldo Macedo, essa relação é conhecida como sistema social e pode exercer muita influência sobre o desempenho dos indivíduos que se faz necessário refletir acerca dos componentes da relação social. “O que a Loja Cavaleiros Templários e a Associação Flor Templária fazem é a mais pura Maçonaria Executiva. Derrubaram, simbolicamente, as quatro paredes; a família se faz presente e todo o objetivo comum culmina em algum reflexo positivo entre a sociedade. Sem dúvida, é um exemplo a ser seguido”, elogiou Geraldo. Para ele, quebrar a rotina e se envolver em alguma causa, seja ela social ou política faz bem à saúde do corpo e da alma. "Uma Loja Maçônica ou qualquer outra instituição que observar essa prática experimentará uma felicidade incomparável".

O ex-venerável da Cavaleiros Templários e um dos fundadores da Associação Flor Templária, Ademar Santana Franco, ressalta que esse esforço conjunto resultou em várias ações, sendo duas delas as reformas de alas infantis do Hospital e Maternidade Santa Casa de Cuiabá. “Posso afirmar que o que nos fez ser mais unidos em Loja e em família foi acreditar no ser empático é no ser simpático de fato. Por meio da empatia, nós, da Cavaleiros Templários, sentimos prazer no contato humano. Despertamos uma sinergia entre as partes envolvidas, uma identificação com o outro, com o próximo”.

Com uma simples festa junina, maçons anônimos, suas esposas e filhos mostraram que ser empático é se colocar no lugar do outro, respeitar os sentimentos e as opiniões contrárias desenvolvendo assim uma compreensão racional e verdadeira

Com uma simples festa junina, maçons anônimos, suas esposas e filhos mostraram que ser empático é se colocar no lugar do outro, respeitar os sentimentos e as opiniões contrárias desenvolvendo assim uma compreensão racional e verdadeira. “Sabemos que a simpatia gera solidariedade. Gentileza nasce de um envolvimento emocional gerado pela solidariedade de sentimento e é essa a nossa proposta com a Maçonaria Executiva sendo praticada na realidade da vida”, concluiu Geraldo Macedo.