José Vitor Gargaglione vai para o Oriente Eterno e deixa saudade

06 de dezembro de 2018

Três últimos anos de vida foram dedicados à familia

A Maçonaria em Mato Grosso está de luto. Partiu para o Oriente Eterno, na madrugada de quarta-feira (05), em Cuiabá, o procurador José Vitor Gargaglione. Ele lutava contra um câncer de bexiga, diagnosticado em 2016. Era considerado um dos mais experientes e respeitados procuradores do Estado. Também foi subprocurador, defensor geral e corregedor da Procuradoria Geral do Estado (PGE) por quatro vezes. Maçom dedicado, encarou a doença e viveu os últimos três em total devoção à família. "Não sentei para chorar e enfrentei a doença de pé”, desabafou o procurador em sua rede social quando soube da sua doença. “Gargaglione foi um ser humano exemplar do ponto de vista familiar, maçônico e profissional”, comparou Geraldo de Souza Macedo, grão-mestre da Grande Loja Maçônica de Mato Grosso (Glemt).

O procurador era conhecido por sua preocupação em levar uma vida saudável, cuidava da alimentação e praticava esportes. Gargaglione veio do Rio de Janeiro para Mato Grosso em 1980 e foi um dos responsáveis por introduzir o jiu-jitsu no Estado. Gostava de pedalar, caminhar nos parques da cidade e tinha como vício, apenas o gosto por participar de maratonas no Brasil e no exterior.

Na história profissional de Zé, como gostava de ser chamado pelos amigos e irmãos de Ordem, consta a chefia da extinta Procuradoria Judiciária, que deu origem à Defensoria Pública. Foi conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Mato Grosso, membro de comissões de Defesa dos Direitos Transindividuais, Difusos e Coletivos, e do Conselho De Defesa da Criança e do Adolescente.

Gargaglione participou do projeto de jurisprudência pela igualdade e combateu a discriminação por gênero. Também atuou como professor nas escolas superiores do Ministério Público e da Magistratura, faculdades de direito e escolas preparatórias para concursos, além de ter sido incentivador da criação da escola superior de advocacia pública.

“Mato Grosso perde um dos seus maiores juristas e professor. Apaixonado pela advocacia pública, foi grande defensor dos Direitos Humanos, das mulheres e das crianças”, disse a procuradora-geral do Estado, Gabriela Novis.

Em nota, a Associação dos Procuradores do Estado de Mato Grosso (Apromat) manifestou pesar pela morte de José Vitor: “Profissional exemplar, grande professor, amigo querido, pai e avô amoroso, Zé Vitor, como era chamado pelos colegas, deixa ensinamentos e exemplos que nunca serão esquecidos, em reconhecimento ao imenso legado deixado por ele na Procuradoria Geral do Estado (PGE). Uma de suas principais marcas foi a luta intransigente pelas causas associativas”.

“Zé foi um homem do bem. Fazia tudo o que gostava e de forma saudável. Certamente, nos deixa muita saudade daquele aperto de mão forte e riso fácil no rosto. Nos conforta saber que ele descansa junto ao Grande Arquiteto do Universo e, a essa hora, está de pé e à ordem ou caminhando sem pressa por alguma estrada no Oriente Eterno”, finalizou Geraldo Macedo.

José Vitor Gargaglione foi sepultado no Cemitério Parque Bom Jesus, em Cuiabá.

Grande Loja do Estado de Mato Grosso
Emitido em 24/04/2019 08:16