Logo
Atendimento (65) 3319-3700

Segunda a Sexta-Feira das 12:00 às 18:00

Email para contato

[email protected]

Maçonaria Executiva: E o presente, como será?

18/06/2018

Sessão com representantes da Glemt, Gob e Goe

Dando sequência ao ciclo de palestras sobre Maçonaria Executiva, nas 13 cidades-polos do estado, o grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Estado de Mato Grosso (Glemt), Geraldo Macedo, esteve na última semana em Sorriso, distante 418 quilômetros ao norte de Cuiabá. A sessão realizada na Loja Estrela de Sorriso nº 40, reuniu representantes de 21 lojas filiadas à Glemt, Grande Oriente do Brasil (Gob) e Grande Oriente do Estado (Gob).

“Nascemos como Maçonaria Operativa, fomos Especulativa e, agora, é o momento de assumirmos a fase Executiva que, aliás, intuitivamente já está em prática”

Em um momento em que muitas instituições discutem o futuro, as três potências maçônicas se unem para definir o destino do seu presente. “Hoje é o futuro de ontem. Então, temos pressa”, brincou Geraldo Macedo ao explicar sobre a necessidade de se estabelecer novos paradigmas ao pensamento e ações do maçom, além de faze-los ecoar entre a sociedade. Esse é o norte da palestra ministrada por Macedo, considerada por ele como um marco histórico para a Ordem tricentenária. “Nascemos como Maçonaria Operativa, fomos Especulativa e, agora, é o momento de assumirmos a fase Executiva que, aliás, intuitivamente já está em prática”, definiu o grão-mestre.

Para Geraldo Macedo, o momento atual em Mato Grosso e no País sugere uma profunda avaliação tendo como parâmetro o conceito de Maçonaria Executiva. No campo político, por exemplo, tendências apontam que os rumos do Brasil serão decididos por um eleitor que hoje se mostra dividido entre três grandes desejos: A vontade de rejeitar os políticos e a corrupção; a escolha do ponto de vista econômico; um crescimento dos valores liberais na sociedade, que tem agora visão mais crítica em relação aos sindicatos, ao papel do governo e às leis trabalhistas. “Poderíamos citar dezenas de vieses que, certamente, nem serão lembrados nessa campanha eleitoral. No entanto, serão substratos fundamentais para muitas das propostas dos candidatos. Temos que inserir o maçom nesse contexto”, defende Geraldo.

"Precisamos sair das quatro paredes para o exercício pleno da cidadania, embora nunca tenhamos sido omissos nas questões importantes ao País e ao Mundo"

Outros pontos que a Maçonaria em Mato Grosso sugere como proposta de discussão para o momento, são os impactos sociais dos avanços tecnológicos, as perspectivas da política nacional e as incertezas da campanha eleitoral desse ano, além dos problemas da segurança pública. “Já encaminhamos ao governador Pedro Taques uma carta aberta assinada por veneráveis-mestres da região de fronteira com a Bolívia e endossada pelos grão-mestrados das três potências, cobrando uma posição sobre a falta de segurança na região da Grande Cáceres. É um exemplo de atitude que cito dentro da ótica da Maçonaria Executiva. Precisamos sair das quatro paredes para o exercício pleno da cidadania, embora nunca tenhamos sido omissos nas questões importantes ao País e ao Mundo”, completou Macedo.

O grão-mestre observa que não adianta pregar que os deveres do homem para com o seu semelhante seja ajudá-lo a realizarem o seu próprio destino, impelindo-os na busca da luz e da verdade, a fim de que alcancem o fim nobre e altruísta almejado por todos os seres. “Precisamos ir além disso, já que a realidade humana não se resume a desejos ou sonhos. Precisamos compreender juntos, qual será o impacto da chamada quarta revolução industrial sobre a vida das pessoas e sobre a própria economia, a partir do acelerado desenvolvimento de tecnologias como a inteligência artificial, robótica, computação quântica, entre outras situações. Afinal, somos todos cidadãos de uma mesma nação”.

A intenção da Maçonaria Executiva é, segundo Geraldo Macedo, abrir as portas para que a sociedade conheça os propósitos maçônicos, promovendo um grande debate sobre os temas já citados, além de outros. “Devemos realizar sessões conjuntas da Glemt, Gob e Goe para ouvir e questionar autoridades, compartilhar conhecimentos e opiniões com a sociedade para, no final, exercer plenamente a cidadania e a prática maçônica”.