Glemt apresenta balanço de 2018 em Assembleia Geral

18 de dezembro de 2018

O ano administrativo da Grande Loja Maçônica do Estado de Mato Grosso (Glemt) foi finalizado neste sábado, 15, com a realização da sua 41ª Assembleia Geral Ordinária, em Cuiabá. O evento, que aconteceu no Templo ‘Antônio Hans’, reuniu cerca de 400 maçons de todas as regiões do Estado. Além de apresentar o balanço financeiro, o Grão-Mestrado, fez um relato das atividades realizadas ao longo do ano e homenageou os veneráveis mestres que deixam a gestão das suas lojas para que se inicie um novo ciclo com novas diretorias em 2019.

"Fechamos o ano com um balanço muito positivo em quantidade e qualidade das ações. Isso nos deixa felizes e com a certeza de que tomamos as decisões corretas" - Geraldo Macedo

O grão-mestre, Geraldo Macedo, coordenou os trabalhos em clima descontraído e quebra de protocolos, o que deixou a sessão com ares de congraçamento. “Fechamos o ano com um balanço muito positivo em quantidade e qualidade das ações. Isso nos deixa felizes e com a certeza de que tomamos as decisões corretas”, disse Geraldo Macedo, ao iniciar a sua apresentação logo após a explanação do coordenador financeiro da Grande Loja, Afonso Henrique.

Em relação ao número de membros ativos, Macedo destacou que nos últimos 12 meses a Grande Loja de Mato Grosso apresentou um crescimento pequeno, e explicou. “Temos que primar pela qualidade de quem é chamado pela Maçonaria. De nada adianta crescer, crescer e crescer em números. Os que chegam, precisam ficar e se tornar espelho para as futuras gerações de maçons que povoarão as colunas da Maçonaria Universal. O que é ser maçom? É somente ter sido iniciado? Não implica mais nada? Antes de tudo, precisamos ser reconhecidos como tal”, completou o grão-mestre. Em janeiro, a Glemt tinha cadastrado 2.378 obreiros. Em dezembro, o quadro fechou o ano com 2.399 membros, com 41 iniciações realizadas no período. 

Foi justamente preocupado com a qualidade na escolha de seus novos membros e, sobretudo, na formação dos que continuam nas fileiras, que o grão-mestrado cumpriu uma série de ações propostas no planejamento anual. “Fomos a todas as regiões do estado com o Curso de Formação para Novos Dirigentes. Realizamos 12 encontros, reunindo as lojas de cada polo. Para Geraldo Macedo, o curso é uma forma eficiente para que as diretorias das lojas possam aperfeiçoar ações e avaliar o dia-a-dia, contribuindo para melhorar o planejamento tanto da gestão administrativa quanto da ritualística.

Ele observou que, nesses cursos, a direção da Glemt tem a oportunidade de ficar frente a frente com os novos dirigentes. Segundo ele, a relação direta das lojas com o grão mestreado é fundamental para o sucesso das ações. O número de palestras também foi considerável. Geraldo Macedo e sua diretoria percorreu Mato Grosso com o ciclo de palestra sobre Maçonaria Executiva. Ao todo, foram 16 palestras reunindo mais de três mil maçons da Grande Loja, Grande Oriente do Brasil e Grande Oriente do Estado. “Vivemos um momento de muita união na Maçonaria de Mato Grosso. Estar junto com o Grande Oriente do Brasil e com o Grande Oriente do Estado nessa nova fase da Ordem foi histórico e motivo de orgulho. Faço aqui as minhas deferências aos grão-mestres Ademir Amorim (GOE) e Antonio Passos (GOB)”.

O ápice das discussões sobre Maçonaria Executiva ocorreu em agosto, quando se comemorou o Dia do Maçom (20 de agosto). As três potências se juntaram em três sessões conjuntas numa demonstração da união e da perfeita harmonia que impera nas relações entre o GOE, GOB e Glemt. A primeira sessão foi realizada na sede da Grande Loja, com a presença de 450 membros da Ordem. Só de Cuiabá e Várzea Grande, cerca de 1.500 maçons também participaram dos trabalhos nas duas sessões seguintes nos templos do GOE e GOB. No interior, outros 1.500 maçons também conheceram as diretrizes da Maçonaria Executiva.

Geraldo Macedo destaca que, em um momento em que muitas instituições discutem o futuro, a Grande Loja de Mato Grosso definiu o destino do seu presente. “Hoje é o futuro de ontem. Então, temos pressa”, disse Geraldo Macedo ao explicar sobre a necessidade de se estabelecer novos paradigmas ao pensamento e ações do maçom, além de faze-los ecoar entre a sociedade.

“Posso dizer que a Glemt foi um tanto andarilha em 2018”, falou o grão-mestre em tom descontraído ao contabilizar o número de visitas realizadas. “Fizemos Dezenas de visitas em lojas com sessões de rotina e outras dezenas em sessões festivas de aniversário”. Ao todo, a lista que relaciona as ações do grão-mestrado conta com 206 itens. Algumas dessas visitas foram a orientes de outros estados, além do Distrito Federal. “Fomos a Brasília, Tocantins, Rondônia, Sergipe, Pernambuco, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, São Paulo e Acre. Também estivemos em missão representando a Grande Loja no exterior, como no Panamá, Uruguai, Bolívia e nos Estados Unidos. Posso dizer que a Glemt hoje é reconhecida e conhecida internacionalmente. E não é um trabalho só desta gestão. É fruto de um trabalho contínuo”, comemorou.

Uma das provas desse prestígio nacional e internacional foi a eleição de Geraldo Macedo para a presidência da Zona 5 da Confederação da Maçonaria Interamericana (CMI), em abril, na Bolívia. Em julho, já como presidente eleito, participou da Conferência da Confederação da Maçonaria Simbólica Brasileira (CMSB), no Espírito Santo. Em agosto, Geraldo Macedo participou da reunião do Conselho da CMI, no Uruguai. Já em setembro, presidiu a primeira reunião da Zona 5 da CMI na sede da Glemt, em Cuiabá. O encontro aconteceu no momento em que a Grande Loja de Mato Grosso comemorava os seus 40 anos de fundação.